TDAH e memória: Dicas importantes!

Essas informações são apenas uma demonstração de como é possível ter uma boa memória apesar do TDAH. Adote as estratégias certas para desenvolver as habilidades necessárias para uma vida plena com eficiência e senso de realização.

 

Cuide dos seus sentidos.memória sensorial

Uma boa memória baseia-se numa boa apreensão sensorial, isto é, na qualidade dos seus cinco sentidos: visão, audição, olfato, paladar, tato. Então cuide bem deles! Por exemplo: se você tem rinite, sinusite ou outros ‘ites’, isso pode comprometer sua memória olfativa, do mesmo modo, miopia, astigmatismo etc, torna difícil a apreensão de estímulos visuais que são a principal fonte de informação para a mente.

Por isso, não hesite em buscar um médico, usar óculos ou outros recursos para melhorar a acesso de informação no seu cérebro, fazendo dos seus sentidos aliados e não inimigos da sua memória.

Mantenha-se em boa condição física. 

Exercitar-se com regularidade além proporcionar liberação de hormônios, dentre vários a endorfina, substância liberada pelo cérebro que proporciona a sensação de bem estar também promove a liberação de neurotransmissores como a serotonina e dopamina, auxiliando na redução do estresse e ansiedade que por sua vez pode amplificar sua capacidade de armazenar e acessar informações. isso é verdadeiro para qualquer pessoas e ainda mais valioso para quem tem TDAH.

Crie ambientes livres de estresse.

Ambientes calmos e harmoniosos favorecem as funções cognitivas. Por isso, seja da paz! Obviamente não é possível eliminar todas as fontes de estresses, do trabalho, da escola nem mesmo do lar. Lembre-se: se não é possível eliminar o estresse do outro, controle o seu próprio estresse.

Isso não será tarefa fácil especialmente se o TDAH vier junto com o transtorno de ansiedade e baixa tolerância à frustração. Se este for o caso, você terá mais um motivo para recorrer à terapia cognitivo comportamental. Ela o ajudará a controlar a ansiedade e de quebra, ter uma memória melhor.

Experimente coisas novas. 

A memória não entra em ação apenas quando tentamos recordar algo. Ela é um processo em constante construção e nosso comportamento pode estimula-la ou não. Por isso saia do usual! Explorar novos campos, novos passatempos, ofícios, trajetos, sabores e odores, estimula e ativa diferentes campos do cérebro criando novas conexões e sinapses, o que deixará sua memória muito mais forte.

Antes de ir para o trabalho faça o check-in.

Para nunca mais se esquecer de acessórios e ferramentas de trabalho associe cada parte do corpo a um item. Funciona assim: olhe atentamente para cada parte do corpo, associe os pés a certo tipo de calçado para seu trabalho; as pernas e as nádegas a dinheiro, carteira, chaves, celular; os braços, ao relógio; o tórax a crachá, documentos, vale transporte; a cabeça associe a capacete, óculos de proteção ou qualquer outro acessório necessário. Use sua imaginação e adapte essa dica a sua própria profissão e circunstancia. Faça esse exercício diariamente e logo ele será incorporado como um hábito saudável para te ajudar a vencer o TDAH.

Seja um eterno aprendiz.

A condição TDAH envolve uma disfunção na produção e recepção dos neurotransmissores.  Então estimular  de maneira natural o aumento do fluxo deles  é uma boa estratégia. O contato com informações não familiares pode fazer exatamente isso, aumentar a liberação de neurotransmissores que estimulam e ajudam a fixar a memória. Tire proveito disso, tente aprender algo novo todo dia. Vale qualquer coisa, um texto bíblico, a letra de uma canção, o nome verdadeiro daquela rua que você conhece só por “rua do banco”, um provérbio, etc. Tenha por alvo aprender uma coisa nova diariamente e associe isso com seus antigos conhecimentos para aumentar as conexões neurais.

Exercite a mente de modo divertido.16926694_s

Informações concebidas de maneira lúdica têm muito mais chances de serem retidas. Desafios mentais divertidos são poderosos recursos para memorização. Então abuse dos jogos de tabuleiros, xadrez, dama, gamão, sudoku, ou do misterioso cubo mágico. Se você é do tipo informatizado experimente aplicativos de exercícios mentais para tablet ou smartphone. Alguns desses aplicativos, como o ‘fit brains’ dá a possibilidade de informar se você é portador de algum transtorno como depressão, alzheimer e também TDAH, assim apresenta desafios personalizados a sua condição de saúde mental.

ascese o fit brains aqui. 

Aprenda um código alfanumérico. 

Gravar senhas, números de telefone, CPF, RG, PIM e outras infinitas formas modernas de códigos, pode ser um verdadeiro transtorno principalmente para quem sofre de TDAH. Se este é o seu caso, a dica seguinte pode ser sua salvação!

Nesse método você atribui uma consoante para cada número de 0 a 9 e memoriza isso cabalmente. Supondo que atribua a letra R para o número 1, G para 2, F para 3, M para 4 então para memorizar o número 3142 você o associaria a uma palavra formada com as letras correspondentes a cada número adicionando as vogais que não tem nenhum valor numérico. Uma associação possível para N• 3142 é a palavra FORMIGA. Em vez de decorar um número sem significado especial para sua mente você mentaliza uma palavra com conexões cognitiva. Depois de criar a palavra faça uma imagem mental dela, crie uma história absurda com ela e nunca mais se esquecerá do número que ela representa.

Saia do piloto automático, use seus sentidos.

Um dos principais motivos de não lembrarmos tarefas que executamos a pouco tempo é porque as fazemos de modo automático, mecânico, sem vivenciar o ato. Esse comportamento diz ao cérebro que aquela informação é desnecessária, que pode ser descartada. Por exemplo é muito comum esquecer onde colocamos as chaves ou se tomamos ou não o remédio. Para evitar isso acostume-se a estimular os seus sentidos ( visão, audição, olfato, paladar, tato) nas atividades diárias.

Para não esquecer onde colocou as chaves sinta-as em suas mãos, olhe para elas, veja a cor o tamanho o formato, balance o chaveiro para ouvir o som delas. Para não esquecer se já tomou ou não aquele remédio faça o mesmo processo, olhe para o frasco leia o rótulo, agite-o para ouvir algum som, sinta o cheiro e o sabor dele. Saindo do piloto automático você criará lembranças com alto  poder de evocação.

Bibliografia

Barkley: Russell A. Barkley; Vencendo o TDAH adulto; 2011; ; Artmed; 9788536326122
Salles: Clene; 52 maneiras de melhorar a memória; 2014; ; Melhoramentos; 9788506074152

O’Brien;Dominic; Super memória! Números e datas; 2003, PubliFolha; ISBN 8574024589

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *